Poesia: Uma Jornada no meio da tormenta

Vejam poesia feita pelo grande poeta Ariulino Alves, o Chocolate, integrante do MST, assentado da Reforma Agrária, especialmente para a 15° Jornada de Agroecologia.

Mil novecentos e dezesseis!
Realizamos nossa jornada,
Uma conjuntura bem complicada!
Vivendo um golpe da burguesia,
Uma afronta a democracia.
E contra a classe trabalhadora
A elite covarde e opressora
Demonstrando sua covardia

Sabemos que o estado burguês
Sempre foi da classe dominante
Eles até que aguentaram bastante
Não sabiam da nossa capacidade
Já mostraram sua falsidade
Usando a própria constituição
Tentaram anular a eleição
Usando a imprensa pra sagacidade!

Assim a nossa Jornada
Vai selar para sempre a união
Nossa força e organização
Para enfrentar estes bandidos
Esta corja de atrevidos
Fizeram dos trabalhadores
Pobres e sofredores
Miserável e sempre esquecido!

Esta Jornada é uma esperança
No resgate de nossos valores
Que no passado os produtores
Perderam para a modernização
Agora faremos mutirão
Implantaremos agroecologia
Se livramos da transgenia
Que ameaça nossa nação!

Companheiros e companheiras
É sempre nosso compromisso
Não aceitar esse enguiço
Mas cumprir com nosso dever
Produzindo o que é de viver!
Não fazer alianças com canalhas
Fazer a reforma agrária
Deus nos dará um novo amanhecer